Febre Amarela - Vacina – Reflexões Masculinas

jan 15 2018

Febre Amarela – Vacina

Febre Amarela

Sobre a Febre Amarela e a “falta de vacinas para todo mundo”, vou tentar explicar resumidamente através deste artigo algumas informações que não são passadas á população.

– O mosquito que pica o macaco (Haemagogus janthinomys) é diferente do que o que pica o homem (Aedes aegypti). O primeiro vive na mata fechada e o segundo dentro da sua casa.

– O pernilongo comum não participa dessa história.

– Os humanos suscetíveis, ao frequentarem áreas silvestres, podem ser picados por mosquitos infectados.

– Ao voltarem para casa, se estiverem contaminados e forem picados pelo Aedes, este é quem pode disseminar o vírus para outras pessoas.

– O Aedes vive dentro das casas e voa, no máximo, num raio de 500 metros. Ou seja, o mosquito não vai atravessar a cidade, a não ser que você permita que ele passe de casa em casa, inclusive na sua.

– Como não há casos de ciclo urbano de Febre Amarela no Brasil desde 1942, vacina-se apenas as populações que vivem mais próximas às matas nativas porque o vírus só pode vir de lá.

– Entenda que mata nativa é diferente de terreno abandonado ou de barranco com mato alto.

– Seguindo-se o “rastro” das mortes dos macacos, é possível saber por onde o vírus está andando, e assim protege-se as pessoas daquelas áreas. É o que chamam de “corredor do vírus”.

– Por isso é extremamente importante não sair matando macacos por aí! Além de indicarem por onde o vírus anda, eles são mais vítimas do que nós.

– Se você NÃO mora próximo a áreas de mata nativa, o vírus só chegará a você se houver o ciclo urbano através do Aedes, e este ciclo começa sempre afetando primeiro os moradores das áreas de mata. Por isso é importante fazer o bloqueio deles primeiro.

– Lembre-se que desde 1942 não há casos de ciclo urbano no Brasil.

– Se você se afobar e tomar a vacina sem necessidade e esta faltar aos moradores das áreas de mata, fica muito mais fácil de começar o ciclo urbano, pois essas pessoas estarão desprotegidas por sua culpa.

– Se você quer realmente proteger a si e a sua família e colaborar com a cidade toda e com os serviços de saúde, não permita que o mosquito Aedes aegypti procrie.

– Além de evitar a Febre Amarela, você também estará evitando a Dengue, a Zika e o Chikungunya.

– Você sabia que muitas cidades do Estado de São Paulo já têm casos confirmados de Chikungunya em 2018 e vários casos suspeitos de Dengue e nenhum de Febre Amarela em humanos? Pois é…

– A chave de tudo é o mosquito Aedes aegypti e não os macacos! Use sua inteligência!

– Entendeu agora porque a vacina não é para todo mundo?

– Ah, e antes que eu me esqueça, você já olhou seu quintal hoje atrás de água parada ou lembrou de usar repelente?

– Você pode até escapar da Febre Amarela, mas a Dengue, a Zika e o Chikungunya podem estar dentro da sua casa e você nem se deu conta disso!

– Percebeu como tem agido errado até então desesperando-se atrás da vacina?

– Bora fazer o certo acabando com o mosquito!






3 comentários

  1. tem a fonte?

    1. Olá, Luís! Obrigado por perguntar. Quisera eu que todo mundo buscasse as fontes das coisas que compartilham como você fez!

      Eu trabalho em saúde pública há mais de 20 anos e tenho acesso a publicações do Ministério da Saúde e da Vigilância Epidemiológica, de onde tirei grande parte das informações. Outras, foram de minha autoria baseadas na minha experiência, mas tudo foi escrito de próprio punho.

      O texto foi publicado inicialmente no meu perfil numa rede social e compartilhado com os amigos via mensageiro eletrônico, e rapidamente viralizou, chegando até a Secretaria de Saúde da cidade onde moro, sendo elogiado e tendo eu recebido os agradecimentos por estar colaborando com o esclarecimento da população.

      Ele também foi usado num treinamento de novos funcionários de um famoso hospital particular aqui da cidade.

        • luis on 21/01/2018 at 12:04 am

        muito obrigado!

Gostaria de acrescentar algo? Comente abaixo: