mar 07 2018

Reviravolta na vida de Tadeu

vida-de-tadeu

Neste tópico, iremos contar e analisar mais uma das peripécias femininas que deixam qualquer homem à beira da insanidade. Trata-se de um caso real que aconteceu na semana passada.

Vamos à história. 

Reviravolta na vida de Tadeu

Tadeu (nome fictício) é um homem calmo e passivo, tem por volta de 27 anos e trabalha como frentista num posto de gasolina numa cidade de médio porte. Ele mora numa cidade vizinha, bem menor e com ares interioranos.

Tadeu é casado há cerca de 3 anos e sua esposa tem um gênio do cão. As brigas, geralmente iniciadas por ela, são constantes, e por várias vezes separaram e voltaram, sendo sempre ela quem dita quando ele sai e quando volta para casa.

Já deu para perceber que Tadeu é um banana e que, por isso, não é respeitado por sua mulher.

Pois bem, certo dia, Tadeu estava trabalhando no posto de gasolina quando toca seu celular. Ao atender, um homem que não se identificou queria saber qual era a relação que Tadeu tinha com Kátia (nome fictício), pois havia uma ligação com o número de Tadeu para o celular dela.

Tadeu não entendeu direito o que estava acontecendo, disse que não conhecia a mulher e desligou. O homem do outro lado não se contentou e passou a ligar várias vezes ameaçando Tadeu, dizendo que sabia onde este trabalhava, dando inclusive o endereço do posto e fazendo mil ameaças.

Tadeu começou a se preocupar de verdade e, tentando lembrar de alguma Kátia que conhecesse, se deu conta de que poderia ser uma mulher que trabalhava com sua mãe numa escola da cidadezinha onde morava. Ele também raciocinou que talvez sua mãe tivesse pego seu celular para ligar para a colega.

O nosso amigo, temendo por sua integridade, saiu mais cedo do trabalho e foi até à escola para tirar a história a limpo. Chegando lá e confrontando Kátia, ela ainda afirmou na frente de todos que Tadeu havia sim ligado para ela no dia anterior. Ele ficou irado frente a tamanha mentira, principalmente porque estavam em jogo sua idoneidade e segurança.

Até aqui, só esse fato já basta para vermos o quão mal intencionada uma mulher pode ser, mas claro que a coisa não para por aí. Provavelmente, você esteja se perguntando “Mas, por quê essa mulher fez isso?”

Senta que lá vem!

Kátia

Kátia é uma mulher que já ultrapassou o 50º aniversário. Casada com um usuário de drogas, sempre (ao que se sabe) foi uma esposa fiel, até o dia em que resolveu que poderia “ser feliz” e resolveu pular a cerca.

Seu marido, ao que nos consta, não está nem ai pra nada e vive alienado com os tóxicos que usa. Possivelmente, deve ter sequelas neurológicas que o impedem de notar a mudança de conduta da esposa.

O fato é que Kátia estava traindo seu marido, e quem ligou ameaçando Tadeu não fora este, mas sim o amante! PQP!

Mas, se você acha que já está bom o suficiente de reviravoltas, então tenha muita calma que ainda vem mais! Lembra da esposa de Tadeu? É claro que um ser desses não ia passar em branco. Vamos a ela.

Judite (nome fictício)

Assim que percebeu que o amante corno estava insistindo com as ameaças, Tadeu ligou para sua esposa. Não sei ao certo se para pedir orientação sobre o que fazer ou se para adiantar a conversa antes que alguém o fizesse, temendo a reação do Belzebu.

Obviamente, o tiro saiu pela culatra, e Judite, além de não acalmar e orientar seu esposo, ainda passou a duvidar de sua fidelidade, xingando-o de várias formas e expulsando-o de casa como fizera outras vezes.

Tadeu ficou numa mescla de fúria com desolação, perdido, sem saber o que fazer, e foi aí que resolveu ir tirar a história a limpo com Kátia como já contamos mais acima.

Por 2 ou 3 dias, Tadeu ficou impedido de entrar em sua própria casa e passou as noites no lar materno.

Desfecho da História

Ao ser pressionada por várias pessoas da escola, Kátia contou ao amante que tudo não passava de um engano.

O amante, tranquilizado, telefonou para Tadeu pedindo desculpas. Este xingou-o de tudo o que lhe veio à mente, ameaçando processá-lo.

Judite ainda não se deu por satisfeita e pretende tirar a história a limpo a fim de saber a verdade sobre a conduta do marido. Após alguns dias, ela deu permissão para que ele voltasse a dormir em casa.

E o marido de Kátia, alheio a tudo, seguiu usando suas droguinhas…

Lições a serem tiradas

É claro que a história em si não nos interessa, afinal, não conhecemos nenhuma das pessoas envolvidas, mas achei por bem contar-lhes para que analisemos os vários pontos desse emaranhado todo.

A começar pela confusão em que Kátia meteu muita gente que não tem qualquer ligação consigo, podendo ter acabado em violência ou mesmo na morte de um inocente que não fazia ideia nem de que ela existia. Não sabemos os reais motivos, mas pode ser para provocar ciúmes no amante ou dominá-lo ameaçando-o trocá-lo por outro.

E antes que alguém venha defender Kátia e botar a culpa apenas no amante, se ela não tivesse maquinado tudo, teria desfeito a confusão assim que Tadeu a procurou, concorda? Mas, pelo contrário, ela ainda afirmou que ele havia ligado, num claro propósito de manter a farsa.

Em segundo lugar, o amante, que não se preocupa com o chifre que coloca no marido de Kátia, mas que quase entrou em parafuso ao sentir coçar sua própria testa, acreditando provar do próprio veneno, por ser outro despreparado, foi facilmente manipulado pela amante ardilosa e, claro, não lhe devolverá as consequências por medo de perdê-la.

Judite, a esposa louca, ao invés de apoiar o marido ou averiguar os fatos antes de tomar qualquer decisão, piora a situação deste, que poderia ter se jogado embaixo de um carro antes ao desespero por estar sem saída.

E Tadeu, nosso pobre amigo, pagou caro por ser frouxo com sua esposa não devolvendo as consequências pelo o que ela lhe fez. E aqui cabe uma pergunta: vale a pena estar casado com uma mulher assim, que sempre que a coisa aperta, ela piora a situação, e claro, prejudica seu próprio marido em todas as vezes?

E o pior é que muitos homens vivem na mesma situação que Tadeu: submissos, subjugados, humilhados, desesperados, carentes, suplicantes e à mercê das escolhas de suas companheiras.

Finalizando

Ninguém está livre de passar por contrariedades pelas quais não espera, mas ter ao lado uma mulher que ao invés de lhe apoiar torna-se mais uma inimiga a se combater, e não ter nenhuma atitude com relação a isso, é demais para qualquer homem.

Um homem bem resolvido, nesta situação, tomaria a dianteira e seria o primeiro a por um ponto final na relação com uma tresloucada dessa, já que não pode contar com ela para nada.

E, se você se viu no lugar de Tadeu e “compreendeu” a frouxidão dele, pois também vive algo parecido, está na hora de ler compulsivamente os artigos deste blog para ver se ainda tem salvação.

E, caso queira permanecer como está para evitar confrontar a sua mulher, já que ela não irá permitir que você se liberte e se torne um novo homem, ou um homem de fato, é melhor ir procurar outro site, pois este certamente não lhe serve.

Um forte abraço a todos, e honrem seus culhões, seus bostas!






4 comentários

Pular para o formulário de comentário

    • Otevaldo on 09/03/2018 at 2:44 am
    • Responder

    Obrigado pela história, belos ensinamentos hahah

    1. Obrigado, Otevaldo!

      Forte abraço!

    • Kevin Alison on 16/03/2018 at 3:12 am
    • Responder

    Não gosto de injustiças, mas isso aconteceu porque ele não tem atitude.
    O homem precisa ter atitude, senão vira um fantoche na mão dos outros. Principalmente das mulheres.

    1. Olá, Kevin! Foi exatamente essa mensagem que quisemos passar: como a falta de culhões pode desgraçar a vida de um homem.

Gostaria de acrescentar algo? Comente abaixo: