out 05 2017

Conjecturas Românticas

conjecturas românticas

Você está andando pela rua quando avista uma garota muito linda vindo em sua direção. Ela passa e te dá um leve sorriso.

Empolgado, você já começa a imaginar-se namorando com ela, conhecendo sua família, tomando um sorvete juntos e até transando.

Neste post, analisamos o comportamento do homem sonhador.

Aquele cara que passa horas tentando decifrar o significado do sorriso recebido na rua ou do “oi” na escola, tentando decifrar os enigmas do comportamento feminino.

Cheias de rodeios

Mulheres dificilmente são diretas, e por isso acabam sendo enigmáticas para nós homens.

Sabemos que, quando dizem alguma frase, no fundo provavelmente estão querendo dizer outra coisa.

Essa dúvida acaba fazendo com que tentemos adivinhar a mensagem sub-comunicada.

Se isso por si só já causa confusão, imagine o que acontece quando um cara é doido para se apegar a alguém.

Qual o significado daquela garota ter sentado ao seu lado na escola? Aquilo que ela disse foi uma deixa para você cortejá-la? O que ela está querendo insinuar?

Conjecturas Românticas

Antigamente, as mulheres ficavam conversando com as amigas sobre os homens.

Elas sonhavam acordadas e se perguntavam o tempo todo “será que ele gosta de mim?” ou “o que deve estar fazendo neste momento?”, entre outros pensamentos acompanhados de suspiros profundos.

Hoje, transformados em frágeis donzelas, quem fica sonhando acordado são os homens, infelizmente.

Esse fenômeno foi batizado por Jack Deth de “conjecturas românticas”.

Mas o que vem a ser isso exatamente?

No dia a dia

Imagine uma situação banal qualquer que envolva um homem e uma mulher.

Digamos que uma moça sentou-se ao seu lado no ônibus. Você olha para os lados, grande parte dos assentos vazios.

“Por que será que ela sentou ao meu lado tendo outros bancos desocupados? Seria o acaso ou ela se interessou por mim? E agora, puxo um papo? Hum, não seria nada mal uma gata dessas, hein? Já posso até imaginar… O coração chega a bater mais rápido…”

Outra situação:

“Fulano, conversei com a Beltrana ontem e ela me falou isso e isso. O que será que ela quis dizer? Será que tá jogando um verde? Isso pode significar que ela está a fim de mim?”

Situações simples como essas podem render longos debates e elucubrações com os amigos mais íntimos.

Em fóruns de sedução, pululam tópicos com os mais diversos tipos de questionamentos sobre o significados das palavras e ações femininas.

Os homens, hoje transformados em donzelas apaixonadas, perdem uma quantidade enorme de tempo e energia só tentando desvendar as intenções das mulheres.

Isso sem falar no medo de captarem errado os pretensos “sinais” e perderem de vez a chance de conquistar a garota.

Como se fosse a última e única mulher no mundo e como se nunca mais pudesse surgir outra oportunidade.

Mas, por quê ocorrem essas conjecturas românticas?

Wishful Thinking

Wishful thinking é uma expressão em inglês que significa “pensamento ilusório” ou “desejoso”.

Na prática, a pessoa toma seus desejos por realidade, seguindo raciocínios ou tomando decisões com base em suas vontades, ao invés de se basear em fatos ou no raciocínio lógico.

Sendo assim, muitos homens projetam suas carências afetivas nos atos e palavras femininas, dando a eles intenções e importâncias maiores do que realmente possuem.

Para este tipo de pessoa, um simples “oi” vindo de uma mulher pode se transformar num mar de dúvidas a respeito do que ela quis dizer com aquele simples cumprimento.

A busca para tentar captar as supostas mensagens subliminares transformam a mente masculina num verdadeiro inferno de dúvidas.

“Mas é natural imaginar coisas com uma mulher atraente” – você pode estar questionando.

Sonho meu…

É claro que é natural fantasiar com mulheres. É até saudável. Mas o buraco é mais embaixo.

Lembra quando você conheceu aquela garota e ficou todo animadão com ela?

Você também deve se lembrar das coisas agradáveis que imaginou viverem juntos.

Na sua imaginação, o amor era correspondido, e ela estava muito feliz por finalmente ter encontrado um cara como você. Nada poderia dar errado.

Porém…, por algum motivo, a coisa minguou. Toda sua ilusão, expectativa e ingenuidade foram para o ralo.

A moça não correspondeu, sequer deu abertura para te conhecer melhor e, pior, sumiu do mapa sem deixar rastros.

A vida lhe deu o famoso “soco no estômago”, o “tapa na cara” que faz acordar os babões sonhadores.

Agora, espero que você tenha finalmente aprendido a não esperar NADA das mulheres, mantendo sua expectativa em relação a elas em ZERO.

E, por fim, entenda que pensar demais paralisa. Ao invés disso, viva, divirta-se e deixe a natureza agir como antes.

Forte abraço!

4 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. E o outro lado da moeda? Será que as mulheres também não ficam pensando ou imaginando o que pode ter significado uma atitude masculina?

    Em cima disso eu lembrei de algo que um amigo me falou uma vez: O homem quando vê uma mulher pela primeira vez, imagina como poderia transar com ela. Uma mulher quando vê um homem pela primeira vez, imagina como poderia muda-lo. Apenas para descontrair… rs

  2. A reflexão é exatamente essa, Romeu. O “papel” de ficar pensando que era da mulher agora inverteu para os homens. Estaríamos nos afeminando?

    E, de fato, a mulher está sempre pensando em moldar o homem ao seu modo. O ruim é que, depois que consegue, ela perde o interesse nele.

    Você deve conhecer a música Segredos da Paixão de Chitãozinho e Xororó. Ela ilustra bem isso.

    Mais uma vez, obrigado pelo comentário, Romeu.

    Forte abraço!

  3. Acho que isso se deve a grande evolução que o sexo feminino teve nos últimos anos, a liberdade e a independência financeira delas. Estão se moldando diferente. No caso dos homens, não diria afeminando mas o que eu enxergo é acima de tudo uma perda de confiança, de valor. Parece que conforme as mulheres se valorizaram os homens perderam um pouco de valor.

    Pelo o que acompanho no seu site, está bem implícito qual o dever do homem em um relacionamento. Infelizmente, acabamos por descobrir nosso dever muito tarde, principalmente após um término de relacionamento. Dificilmente o homem aplica seus deveres sozinho sem antes ter tido uma postura errada. Falo por mim e creio que pela maioria.

    Juntando todos esses fatores creio que chegamos a realidade que temos hoje.

    Parabéns pelo site, sigo acompanhando.

  4. Exatamente o que você disse, Romeu. E junte-se a isso que somos educados, na maioria das vezes, por nossas mães, ou seja, somos “modelados” à maneira feminina.

    É aí que entra o propósito do site, de recobrarmos nossa masculinidade (não confundir com machismo) que vem sendo perdida geração após geração.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.