nov 07 2017

Por que ela recusa sexo?

Por que ela recusa sexo

“Por que ela recusa sexo?” Essa é uma das perguntas mais corriqueiras que os homens compromissados se fazem após algum tempo de relacionamento.

No começo, era tudo mil maravilhas. Mas, de um tempo para cá, ela parece completamente desinteressada de sexo. E, quando finalmente aceita, a qualidade é péssima, bem diferente dos tempos iniciais da relação.

O que aconteceu para ela mudar tanto? Por quê esse desinteresse? Como reacender o fogo na parceira?

Vamos começar tentando entender o contexto de tudo para que em seguida as coisas comecem a se encaixar.

A função primária do homem e da mulher

Segundo Nessahan Alita, a função do homem, enquanto macho da espécie humana, consiste em fecundar e proteger sua fêmea e sua prole, bem como realizar tarefas perigosas, pesadas e difíceis.

A função básica da mulher, fêmea da espécie humana, é ser mãe.

O problema todo já começa aí, pois enquanto para o homem a mulher é a sua finalidade (fecundação), para a mulher, o homem é apenas o caminho para atingir o seu fim (maternidade).

Para a mulher, selecionado o macho que irá transmitir os genes para seus filhos, o próximo passo é mostrar a ele todo o seu poderio sexual. E que poderio!

A dose de ataque

No começo da relação, você descobre que tem nas mãos uma mulher capaz de tudo quando o assunto é sexo. Ela topa tudo a todo momento, de todas as formas e em todos os lugares. E as insinuações então? Meu Deus, como ela te atiça! É seu sonho masculino se realizando!

Você, obviamente, pula de cabeça e se embevece nos prazeres daquelas carnes! Se existe o paraíso, ele certamente é assim como ela te faz sentir-se!

É claro que a partir de agora você provavelmente não se interesse mais por outras mulheres, pois encontrou exatamente aquela que procurava nos seus sonhos de homem.

As doses de manutenção

Mas, chega um dia que as coisas começam a esfriar. O paraíso na terra começa a se desfazer, e parece que você se lembra apenas de longe o que aquela mulher era capaz de fazer entre quatro paredes.

O sexo é cada vez mais regrado e de nenhuma qualidade. Basicamente, ele consiste em ela se deitando de barriga para cima, parecendo uma galinha morta, enquanto espera você terminar o “serviço”.

Nenhum gemido, nenhum movimento, nenhum olhar provocante ou de prazer. Possivelmente, ela até esteja de olhos fechados.

Sexo oral, faz tempo que não acontece. Ela te masturbar, também não. Outras posições, muito raramente. Ela tendo ou querendo ter um orgasmo? Você nem se lembra qual foi a última vez que ela gozou.

Mas, por algum motivo, você ainda continua esperando o milagre acontecer. “Talvez ela esteja passando por algum problema com os pais” – você pensa – “Mas eu sei que depois que isso passar, aquele furacão que eu conheci há um tempo atrás voltará a mostrar do que é capaz!”

Ledo engano, meu amigo. Se ela percebeu que apenas pequenas doses de sexo de péssima qualidade já são suficientes para te segurar ali do lado esperando o vulcão entrar novamente em erupção, é exatamente nesse estado que ela irá te manter indefinidamente.

Após a dose de ataque, que te deixou delirando e tirou outras mulheres do páreo, agora que você já “está ganho” ela não precisa mais trabalhar tanto para apenas te manter ali do lado, provendo e protegendo, enquanto ela se dedica quase que exclusivamente aos filhos, sua função primária.

Mas a coisa não para por aí.

A resistência contínua

Todo homem que já teve uma esposa ou namorada deve ter notado que ela geralmente costuma resistir a quase tudo o que você quer, principalmente dar sexo do jeito que você deseja e na hora que você precisa.

Ela vai inventar um monte de pretextos, como “Ah, deixa para fazermos à noite / de manhã / amanhã”, ou ainda “De quatro não, estou com dor nas costas, vem por cima mesmo”, na já falada posição de “galinha morta”. Dar mais que umazinha então, um verdadeiro luxo!

Essa resistência, além de te manter “satisfeito” com uma dose mínima e de péssima qualidade, também mostra um outro aspecto, e nesse muitas vezes somos nós os culpados.

Checando o macho

Mesmo que você esteja num relacionamento há décadas, ainda assim sua companheira estará de testando quase que o tempo todo.

No fundo, o que elas querem, é que provemos também que ainda somos aquele macho que as embriagou “emocionalmente”, provando, mais uma vez, nosso valor masculino.

Elas sabem que qualquer mulher que cede muito fácil os homens não valorizam. Só que a merda é que elas mantém isso anos a fio mesmo que o casal já tenha convivência mais que suficiente para se conhecerem a fundo, sem necessidade desses joguinhos imbecis.

Mas, o que elas querem com isso então?

Arrebatamento emocional

Com o tempo, não foi só a mulher que relaxou, mas você também. Quando ela recusa sexo ou resiste em fazer do jeito que você deseja, ela está querendo dizer que na verdade quer ser encantada até o ponto de completa embriaguez emocional.

Como nós sentimos necessidade de sexo de qualidade, elas também sentem falta, mas de um estado de loucura emocional num ponto que não consigam mais resistir.

E, se a gente não as leva a esse estado, elas acabam nos considerando incompetentes, e com o tempo podem até nos trocar por outro cara que provoque nelas as emoções que tanto desejam.

“Ah, mas eu sou romântico, compro flores, dou presentes, lembro do aniversário e tudo o mais!”

Isso pode até agradar num primeiro momento, mas ela não exitará mais que cinco minutos para brigar com você caso você faça algo que a desagrade em seguida. Ou seja, seus mimos não valeram de muita coisa. No máximo ela vai te “recompensar” te dando de quatro e não de “galinha morta”. Esse pensamento de “recompensa” é exatamente o que passa na cabeça dela. Anote aí.

Se mimos e presentinhos funcionassem, os homens apaixonados e os assediadores teriam sempre sucesso. Mas não, e simplesmente por um motivo: eles estão sempre disponíveis, e isso é broxante.

“Poxa, agora estou confuso. Como então eu posso dar à minha companheira um estado de embriaguez emocional que ela deseja e com isso conseguir o sexo de qualidade que eu desejo?”

Domine-a!

Nessahan Alita diz: “A mulher oferecerá seus tesouros àquele que vencê-la em seus próprios domínios”.

Os domínios da mulher são os emocionais, portanto, de quebra isso já mostra que de nada adianta pensar em dominá-la através da força bruta. Se você pensou nisso, pare e releia todos os posts deste blog antes de continuar. Nossa batalha é estritamente no campo emocional, o que também não significa que estamos falando sobre humilhação. Longe disso.

A mulher só irá se entregar como nos velhos tempos se ela tiver medo! Medo de perder o homem que ela considera especial. E esse homem especial não é o companheiro bonzinho de quinze anos de relacionamento, mas sim o homem emocionalmente forte.

Esse homem emocionalmente forte é aquele que não se submete às tormentas emocionais femininas. É a rocha onde as ondas de devaneios femininos quebram. É aquele que destroça os joguinhos sentimentais. E tudo isso sem se abalar internamente.

O medo de perder um homem de alto valor é o que fará ela trabalhar como nos velhos tempos para prendê-lo em definitivo.

E como fazer tudo isso?

Primeiro, estabeleça suas regras e seja fiel a si mesmo. David X pode lhe ajudar com isso.

Segundo, dê a ela as emoções que ela precisa sentir, positivas e negativas. Também nunca dê-lhe a certeza de que você já está no papo. Este post lhe mostrará como.

E, terceiro, seja imprevisível e ao mesmo tempo divertido e dominante. Este artigo te dará umas dicas a respeito.

Por fim, tenha em mente que aquela mulher fogosa de antes de fato ainda existe, mas precisa ser devidamente trabalhada.

Ambas as partes têm sua parcela de responsabilidade. Assuma a sua e deixe claro o que espera dela, mas não a cobre. Se ela ainda assim resistir e recusar o sexo de qualidade, apenas devolva-lhe as consequências, mesmo que seja o completo fim da relação.

É a sua felicidade em jogo, meu velho. E a dela também. Mas talvez ela não entenda.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.